21 de maio 2018

StartSe LawTech Conference reúne quase 2 mil pessoas para falar sobre tecnologia no universo jurídico

Área Jurídica | Business Intelligence | Eventos | Inovação | Lawtech e Legaltechs | Leonardo Toco |

Uma megaestrutura para um público de quase 2 mil pessoas, mais de 40 expositores, 6 horas entre debates e palestras sobre a tecnologia voltada para o Universo Jurídico, além de muito, muito networking! Essa foi a StartSe – LawTech Conference.

O futuro já chegou, o meio jurídico entendeu isso e já está mudando. Uma área conhecida pela demora em resultados práticos e pela burocracia agora começa a conviver com advogados e tecnologia trabalhando cada vez mais juntos para potencializar os resultados, ganhar agilidade e praticidade em suas tarefas e processos, trilhando um caminho novo e sem volta.

A adoção da inteligência artificial por parte dos escritórios de advocacia vem crescendo exponencialmente. Durante debate ocorrido no evento Rafael Rodrigues, sócio de tecnologia do escritório Gondim Abuquerque Negreiros Advogados e Bruno Souza, sócio do escritório Urbano Vitalino conversaram sobre essa nova realidade.

“Hoje, a maioria dos processos já estão sendo cadastrados pela Carol, inteligência artificial da IBM. Ela faz a leitura do processo e o cadastra, com as informações mais básicas”, comentou Bruno Souza.

Ainda em fase de adaptação, algumas dificuldades foram encontradas. “Muitas vezes a gente treinava a Carol e estávamos ensinando errado, não tínhamos bons resultados. Aprender a ensinar também é muito importante”, complementou.

“Aqui fora, a esmagadora maioria de soluções têm integração, tem API. Mesmo que seu escritório não desenvolva a tecnologia, dá para contratar de um terceiro e começar a utilizá-la em um tempo curto”, afirmou Rafael Rodrigues, especializado em contencioso de alto volume.

Diante de todo esse potencial a ser atingido, foi criada a Associação Brasileira de LawTechs & LegalTechs (AB2L), com a missão de apoiar o desenvolvimento de empresas que forneçam esse tipo de produto ou serviços inovadores através de recursos tecnológicos, fomentar o crescimento do setor e estimular as melhores práticas profissionais e democratizar o conhecimento jurídico, ampliando o acesso à justiça.

O Sócio-Diretor da LDSOFT e Diretor de Operações da AB2L, Leonardo Toco, esteve no LawTech Conference e durante sua palestra falou um pouco sobre as iniciativas da Associação no setor jurídico.

 

Toco comentou sobre a intenção da AB2L de fazer a integração de profissionais da área jurídica à tecnologia, buscando formar e organizar um grande ecossistema de inovação no setor.

“Hoje a AB2L possui um radar com mais de 150 LawTechs – segmentadas de acordo com suas respectivas operações.” Para ele, estar integrado a esse novo ecossistema é fundamental para sobreviver no mercado, e as LawTechs são parte chave nesse processo. “Hoje não é o mais forte que sobrevive, nem o mais inteligente. Mas o que melhor se adapta as mudanças que estão acontecendo no mundo.” Palavras de Leonardo Toco.

Apesar de toda a empolgação com a nova rota que a tecnologia traça, Toco abre um parênteses e diz que é preciso ter cuidado na hora de trabalhar com a inovação, tanto para quem desenvolve um novo negócio, como para quem busca integrar o seu negócio à tecnologia.

Sobre o tema Toco disse: “É essencial entender sua dor antes de começar, porque senão você vai fazer algo que já existe ou que não atingirá ninguém. Por outro lado, as empresas e as advocacias também precisam buscar transformações e inovações que façam sentido para o seu perfil e tipo de negócio”.

A AB2L criou grupos temáticos para discutir desde blockhain até inteligência artificial focada no universo jurídico, e promove encontros presenciais e diversos estados brasileiros. Além disso, a associação promove hacktons e demo/pitchs days para fomentar o ecossistema de inovação jurídica.