09 de August 2018

Jovem cientista brasileira faz palestra de abertura do Congresso Internacional de PI da ABPI em SP

Eventos | INPI | notícias | Propriedade Intelectual |

A curitibana Taciana Pereira, de apenas 23 anos, formada em Bioengenharia pela Universidade de Harvard, fará palestra na abertura do XXXVIII Congresso Internacional da Propriedade Intelectual da Associação Brasileira da Propriedade Intelectual – ABPI, de 19 a 21 de agosto, no Sheraton WTC, em São Paulo. Pesquisadora da Allevi Inc. (Filadélfia, PA) – empresa que desenvolve soluções em 3D para curar doenças, eliminar a lista de espera de órgãos, reverter mudanças climáticas e até viabilizar a vida em outros planetas – Taciana desenvolveu sua pesquisa no Mooney Laboratory for Cell and Tissue Engineering com foco em biomateriais para imunoterapia do câncer, sob orientação de David Mooney (PhD).

Em abril do ano passado, como co-presidente da Brazil Conferece, Taciana emocionou a plateia, onde constavam nomes como a ex-presidente Dilma Roussef, o juiz federal Sérgio Moro e o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Gilmar Mendes, além de universitários de Harvard e do Massachusetts Institute of Technology (MIT). No discurso de encerramento, abordou a falta de incentivo ao conhecimento científico no Brasil e defendeu maior aporte de recursos às pesquisas. “A frase ‘tinha que ser brasileiro…’ é algo que se diz quando algo dá errado”, disse na ocasião. Eu quero que, quando alguém desenvolver uma patente, fizer uma publicação ou ganhar o prêmio Nobel, as pessoas digam: ‘Tinha que ser brasileiro…’”.

Filha de funcionários públicos, Taciana cresceu no bairro Água Verde, em Curitiba, onde gostava de jogar futebol com o irmão e os primos. Por meio do esporte ganhou uma bolsa-atleta da Escola Internacional de Curitiba, para estudar em Harvard. “Você pensa que só entram em Harvard pessoas de nome, muito ricas ou gênio. Na verdade, eu não sou nem gênio, meu sobrenome é Pereira e não sou rica”.

O Congresso da ABPI

Sob o tema “A Relevância da Propriedade Intelectual em um Mercado cada vez mais Inovador”, o evento, o maior do gênero na América Latina, reunirá os maiores especialistas do setor, entre empresários, diretores e gerentes jurídicos, advogados, magistrados, consultores, autoridades de governo e dirigentes de entidades internacionais – como a AIPLA – American Intellectual Property Association e a ASIP – Asociación Interamericana de la Propiedad Intelectual – além de centros privados de pesquisa e representantes de empresas, como HBO, Warner, Fox, Sanovi, Whirlpool, Volkswagen, CBF, Flamengo, entre outras.

Além dos debates envolvendo os temas mais relevantes na área da Propriedade Intelectual, o Congresso abordará questões da era digital como internet das coisas, disputas de nomes de domínio, influenciadores digitais e indústria 4.0. A última plenária do Congresso reunirá os dirigentes dos escritórios de Propriedade Industrial de Brasil, Portugal, México, Argentina, Costa Rica, Espanha, Uruguai e Chile para debate sobre suas experiências, problemas e soluções, em especial na questão do backlog, tema esse recorrente em quase todas essas jurisdições.

A ABPI

Sigla de Associação Brasileira da Propriedade Intelectual, a ABPI é uma entidade sem fins lucrativos, voltada para o estudo da Propriedade Intelectual, notadamente o direito relativo às marcas, patentes, desenhos industriais, direito autoral, o direito da concorrência, a transferência de tecnologia e outros ramos afins.

A ABPI promove conferências, congressos e seminários, edita regularmente publicações sobre o tema da Propriedade Intelectual, e mantém, permanentemente, Comissões de Estudo sobre temas específicos e outros grupos de trabalho orientados para o aperfeiçoamento da legislação, doutrina e jurisprudência desse ramo do Direito.

Fundada em 16 de agosto de 1963, a ABPI congrega empresas, escritórios de advocacia e agentes de propriedade industrial do Brasil e do exterior.