31 de August 2018

Jornalistas europeus lançam apelo em favor dos ‘direitos conexos’

notícias | Propriedade Intelectual |

Ao todo, 103 repórteres e editores de 27 países assinaram um artigo de opinião do jornalista da AFP Sammy Ketz no qual pedem aos deputados europeus que instaurem “direitos afins” que obrigariam os gigantes da Internet a contribuir para o financiamento da imprensa.

O artigo de opinião foi publicado nesta terça-feira (28) pela AFP em seu portal (https://www.afp.com/fr/au-fil-de-lafp/tribune) e divulgado em vários veículos europeus, depois que o Parlamento Europeu rejeitou, no início de julho, uma reforma na lei sobre direitos autorais e que previa a criação desse direito.

Os Gafa (Google, Amazon, Facebook e Apple) fizeram uma intensa campanha nas instâncias europeias contra esta reforma, alegando que a mesma colocaria a gratuidade da Internet em risco.

“Em mais de 40 anos de carreira, vi o número de jornalistas no terreno diminuir de maneira constante à medida que os perigos não paravam de crescer. Nos tornamos alvo, e as reportagens são cada vez mais caras”, diz o texto dirigido aos eurodeputados lançado por Sammy Ketz, diretor do escritório da AFP em Bagdá, que cobriu vários conflitos para a agência.

“A época em que ia para a guerra com jaqueta (…) e com um bloquinho de anotações no bolso ao lado do fotógrafo, ou do cinegrafista, acabou. Agora são necessários coletes à prova de balas, capacetes, veículos blindados, seguros e até seguranças para evitar sermos sequestrados. Quem paga esses gastos? Os veículos, e é custoso”, acrescenta o texto, assinado por jornalistas de renome como o espanhol Javier Bauluz, a francesa Florence Aubenas, ou o britânico Jason Burke.

“Mas, enquanto são os veículos que produzem os conteúdos e enviam seus jornalistas para arriscarem sua vida para fornecer uma informação confiável, plural e completa com um custo cada vez mais alto, não são eles que recebem os lucros, mas as plataformas que os oferecem sem pagar. É como se você trabalhasse, e uma terceira pessoa colhesse, sem vergonha, os frutos de seu esforço”, completa.

“Agora, (os veículos) querem fazer valer seus direitos para poderem continuar informando. Pedem que se compartilhem os lucros comerciais com os produtores desses conteúdos, sejam veículos, ou artistas. Isso são os ‘direitos vizinhos’”, insiste o texto.

A reforma na lei sobre direitos autorais na UE será debatida de novo em setembro.

Fonte  Isto É